Ação Evangelizadora

A Ação Evangelizadora cada comunidade uma nova vocação é uma inspiração de Deus. Ela abrange 51 Dioceses da Igreja Católica, milhares de comunidades para rezar pelas vocações e partilhar pelas redes sociais testemunhos de quem vive com alegria a sua vocação.

Como tudo começou?

Na manhã do dia 14 de novembro de 2016, na sede do Regional Sul 2 da CNBB, em Curitiba, no decorrer de uma reunião informal referente às atividades da Pastoral Vocacional em âmbito de estado, surgiu, inesperadamente, a inspiração para uma Ação Evangelizadora ampla, inédita, em prol de todas as vocações da Igreja.

Aquilo que no início pareciam ser apenas algumas ideias, anotadas livremente à mão, foi tomando forma e depois de alguns minutos resultou em 10 páginas de escritos com um conteúdo cheio de novidades: eram as primeiras páginas da Ação Evangelizadora cada comunidade uma nova vocação.

Parecia tudo muito ousado: falava-se em envolver possivelmente todas as mais de 900 paróquias da Igreja do Paraná, com suas 9000 comunidades/capelas, todas as congregações religiosas, os seminários, os mosteiros, os santuários; envolver todos os meios de comunicação disponíveis: rádios, TVs, sites, jornais diocesanos, paroquiais e, sobretudo, as redes sociais. Ousado e, no entanto, possível de ser realizado.

Nos dias que se seguiram, a proposta foi levada ao conhecimento dos bispos referenciais da Pastoral Vocacional e da Pastoral Juvenil do Paraná, pois a proposta da Ação Evangelizadora envolvia, de modo especial, essas duas realidades. Os dois bispos, de imediato, manifestaram sua adesão.

Em 17 de novembro de 2016, foi enviada uma mensagem de e-mail a três outros bispos, da Presidência do Regional Sul 2, na qual se afirmava, entre outros, no corpo da mensagem: “Segue em anexo uma proposta quase maluca, mas que, ao nosso parecer, é realizável e confiamos plenamente nos resultados, pois se fundamenta no Evangelho!”. A resposta, em momentos distintos, de cada um dos três bispos da Presidência do Regional àquele e-mail, confirmava para nós que se tratava de uma inspiração divina e que deveria ser levada adiante: os três se alegraram pela iniciativa e pediam que a proposta fosse inserida na pauta da Assembleia dos Bispos do Paraná para ser discutida com o todo o episcopado.

Além do Paraná

Depois que a Ação Evangelizadora foi aprovada para a Igreja do Paraná, essa informação foi repassada, de imediato, a Dom Jaime Spengler, Arcebispo de Porto Alegre e Presidente da Comissão dos Ministérios Ordenados e Vida Consagrada da CNBB. Na verdade, ele estava acompanhando todo o desenrolar das atividades e, desde o início, tinha sido um grande incentivador e protagonista desta Ação Evangelizadora. Em diálogo com Dom Jaime surgiu a ideia de levar a Ação Evangelizadora ao conhecimento dos bispos dos três estados do Sul do Brasil.

Isso aconteceu durante a 55ª Assembleia Geral dos Bispos, realizada em Aparecida (SP), de 26 de abril a 5 de maio de 2017. No dia 27 de abril reuniram-se alguns bispos representantes dos três estados do Sul, junto de seus padres secretários e Pe. Mário Spaki, Secretário Executivo do Regional Sul 2, expôs a todos a proposta da Ação Evangelizadora, que já tinha sido aprovada pelos bispos do Paraná e que agora era levada como proposta para uma ação conjunta com os outros dois estados do Sul. A iniciativa foi acolhida com entusiasmo por todos e ficou decidido que seria levada ao conhecimento dos bispos de cada estado, em sua reunião, ainda no decorrer da Assembleia Geral dos Bispos.

A Ação

1. O Evangelho oferece a solução

Há escassez de vocações atualmente na Igreja? A solução para esta realidade está no Evangelho: “Pedi ao Senhor da messe que envie operários para a sua messe” (Mt 9,38). Assim, acreditando no Evangelho, como Igreja unida, como um único corpo, nós iremos pedir ao Senhor da Messe, com entusiasmo e fé, uma nova vocação para cada comunidade. A sua comunidade já ofereceu vocações para a Igreja? Agora é a hora!

As vocações para o sacerdócio, a vida consagrada, a família, a missão… todas têm sua origem em Deus, mas também são frutos da comunidade que reza. O Papa Francisco acredita nisso: “Jesus nos disse que o primeiro método para obter vocações é a oração e nem todos são convencidos disso”. O Documento de Aparecida (n. 314) afirma que “as vocações são dom de Deus e, por isso, em cada diocese, não devem faltar orações especiais ao Dono da messe”.

Assim, propomos que, possivelmente, todos os encontros da Igreja, todas as reuniões de Pastorais, Movimentos Eclesiais, Organismos e Serviços, grupos de reflexão, assim como todas as celebrações comecem ou terminem com uma dezena do rosário, conscientemente, pelas vocações. Antes da celebração da Palavra ou da Santa Missa, onde for possível, rezem-se as cinco dezenas.

É algo ousado? Sim! Esta forma intensa de oração manifesta a nosso ardor e o desejo de colocar em prática, com coragem, uma frase do Evangelho.

2. Comunicar o bem

O Papa Francisco colocou um cartaz sobre a porta de seu escritório com a seguinte informação: É proibido lamentar-se! O Papa e todos nós percebemos que se criou na Igreja em geral e em nossas comunidades um costume de reclamar, de se lamentar, de falar mal uns dos outros. E isso não vem do Evangelho. Pelo contrário, como Maria de Nazaré diante de Izabel, temos tantas coisas bonitas para partilhar!

Propomos então, usar todos os meios de comunicação à nossa disposição, em especial as redes sociais, para divulgar vídeos que mostram a beleza do chamado de Deus, testemunhos de quem vive sua vocação com alegria. O bem quando é comunicado gera vida e alegria em outras pessoas e lugares. Ao invés, a reclamação quando é comunicada produz tristeza. Como poderia um jovem querer tornar-se sacerdote se, repetidas vezes, escuta as pessoas falarem mal dos padres?

Na Ação Evangelizadora cada comunidade uma nova vocação nós divulgaremos aquilo que é positivo, os fatos bonitos, que são tantos! Queremos que a alegria do Evangelho contagie muitos corações.

3. Motivação / Justificativa

A Ação Evangelizadora está alinhada com o Sínodo que acontecerá em outubro de 2018 com o seguinte tema: Os jovens, a fé e o discernimento vocacional. Está em sintonia também com a Jornada Mundial da Juventude, que se realizará em janeiro de 2019 no Panamá e tem como tema Maria e a vocação. E por fim, a Ação Evangelizadora terá um tempo forte o Congresso Nacional Vocacional em 2019.

A Ação Evangelizadora não tem uma data de encerramento, pois os bispos quiseram que não fosse estabelecida uma data de fechamento.

4. Objetivos

Suscitar uma cultura vocacional em toda a Igreja para despertar as mais variadas vocações: esse é o objetivo geral da Ação Evangelizadora cada comunidade uma nova vocação.

Os objetivos específicos:

Rezar pelas vocações em todos os espaços e momentos da vida eclesial;
Desafiar as comunidades a despertar um de seus membros para uma vocação de consagração;
Dar sustentação espiritual aos que responderam ao chamado de Deus;
Publicar nos meios de comunicação testemunhos, músicas, filmes vocacionais;
Viver a experiência da unidade eclesial na promoção vocacional.

5. Protagonistas

Estão à frente desta Ação Evangelizadora nos três estados: os Arcebispos e Bispos, a Comissão Regional dos Presbíteros, a Conferência dos Religiosos em cada estado, a Comissão Regional dos Diáconos Permanentes, a Pastoral Vocacional/Serviço de Animação Vocacional…

Uma multidão imensa de leigos está sendo envolvida ativamente por meio de todas as Pastorais, Movimentos Eclesiais, Organismos e Serviços da Igreja.

De modo especial, três grupos de leigos estão sendo chamados a estar na linha de frente desta Ação Evangelizadora:

– Ministros como “guardiões”

Os Ministros Extraordinários da Eucaristia estão presentes nas igrejas matrizes e em quase todas as comunidades/capelas. Os bispos pediram a eles para serem os guardiões desta Ação Evangelizadora. Isto é: eles vão zelar para que o povo reze pelas vocações, lembrando sempre a intenção da oração: por todas as vocações.

– Catequistas e catequizandos como “protagonistas”

Também a esses está sendo enviado um documento dos bispos confiando a eles o protagonismo da Ação Evangelizadora. No texto pede-se que, na medida do possível e onde for oportuno, no início de cada encontro de catequese reze-se, de forma bem dinâmica, a dezena do Rosário com os catequizandos, pelas vocações.

Está sendo pedido para que cada grupo de catequese eleja uma imagem de Nossa Senhora e com ela confeccione uma capelinha. É importante que haja o envolvimento dos catequizandos na escolha da imagem e na “construção” da

capelinha. Uma vez tendo a capelinha, no final de cada encontro um dos catequizandos a levará consigo para rezar com a sua família. Dessa forma, o catequizando se torna protagonista da oração pelas vocações junto aos seus familiares.

No início de cada encontro, ao acolher a capelinha que retorna ao grupo, pedir para o catequizando contar para os amigos como foi a oração pelas vocações em sua família.

– Adolescentes e Jovens como “divulgadores”

Do mesmo modo como está sendo pedido para os dois grupos acima, os adolescentes e jovens estão sendo encarregados de serem os divulgadores dos vídeos-testemunhos nas redes sociais. Ninguém melhor que eles para espalhar os depoimentos de quem vive a sua vocação com alegria.

Os adolescentes e jovens também podem produzir vídeos para serem compartilhados. Isso seria demais de bom!

6. Data de início

No estado de Santa Catarina a Ação Evangelizadora terá início dia 2 de fevereiro, festa da Apresentação do Senhor e dia da Vida Consagrada. Será realizado até dia 25 de novembro um momento celebrativo em cada uma das 10 Dioceses do Regional.

Já no Paraná, no Rio Grande do Sul e nas demais Dioceses que aderiram à Ação Evangelizadora, a abertura será durante a Semana Santa, mais especificamente durante a Missa do Crisma. Em todas as Dioceses, os bispos diocesanos se reúnem com seus padres para a renovação das promessas sacerdotais e, nessa ocasião será realizado o lançamento da Ação Evangelizadora em âmbito de Diocese.

Durante a celebração do Lava-Pés na noite da Quinta-feira Santa será feito o lançamento da Ação Evangelizadora em âmbito de paróquia. A nossa equipe está preparando um vídeo bem breve para ser projetado no início da celebração.