Como tudo começou…

Na manhã do dia 14 de novembro de 2016, na sede do Regional Sul 2 da CNBB, em Curitiba, no decorrer de uma reunião informal referente às atividades da Pastoral Vocacional em âmbito de estado, surgiu, inesperadamente, a inspiração para uma Ação Evangelizadora ampla, inédita, em prol de todas as vocações da Igreja.

Aquilo que no início pareciam ser apenas algumas ideias, anotadas livremente à mão, foi tomando forma e depois de alguns minutos resultou em 10 páginas de escritos com um conteúdo cheio de novidades: eram as primeiras páginas da Ação Evangelizadora cada comunidade uma nova vocação.

Parecia tudo muito ousado: falava-se em envolver possivelmente todas as mais de 900 paróquias da Igreja do Paraná, com suas 9000 comunidades/capelas, todas as congregações religiosas, os seminários, os mosteiros, os santuários; envolver todos os meios de comunicação disponíveis: rádios, TVs, sites, jornais diocesanos, paroquiais e, sobretudo, as redes sociais. Ousado e, no entanto, possível de ser realizado.

Nos dias que se seguiram, a proposta foi levada ao conhecimento dos bispos referenciais da Pastoral Vocacional e da Pastoral Juvenil do Paraná, pois a proposta da Ação Evangelizadora envolvia, de modo especial, essas duas realidades. Os dois bispos, de imediato, manifestaram sua adesão.

Em 17 de novembro de 2016, foi enviada uma mensagem de e-mail a três outros bispos, da Presidência do Regional Sul 2, na qual se afirmava, entre outros, no corpo da mensagem: “Segue em anexo uma proposta quase maluca, mas que, ao nosso parecer, é realizável e confiamos plenamente nos resultados, pois se fundamenta no Evangelho!”. A resposta, em momentos distintos, de cada um dos três bispos da Presidência do Regional àquele e-mail, confirmava para nós que se tratava de uma inspiração divina e que deveria ser levada adiante: os três se alegraram pela iniciativa e pediam que a proposta fosse inserida na pauta da Assembleia dos Bispos do Paraná para ser discutida com o todo o episcopado.